Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2014

Um Dia de Artista

(Foto: TV Globo/Programa do Jô
Um das coisas mais legais que eu já fiz na vida... foi ter ido ao Programa do Jô, com Glecy Coutinho como entrevistada, é claro! A ideia surgiu da própria Glecy, no final de 2012. Lembro-me que estávamos encerrando nossas atividades na Secretaria de Cultura, organizando prestação de contas, quando Glecy falou que gostaria de participar do Programa do Jô. Glecy é Glecy!
Uns quatro meses, depois de enviado o texto, eles me ligam. Eu estava na faculdade e fiquei sem reação, não acreditava que isso aconteceria tão rápido. Depois de vários emails trocados, enviaram as passagens pra gente, eu fui de acompanhante. Foi a primeira vez que andei de avião. Todo mundo olhou pra gente, quando nos aproximamos do cara com a plaquinha da Globo. Éramos artistas. Bom, Glecy já era fazia tempo.

Doação de Coisas InÚteis

1 Ventilador sem hélice
1 Aparelho de DVD funcionado na pancada
1 Luminária portátil funciona na pilha
1 Brigadeiro gigante
1 Fitinha vermelha
1 Transferidor velho
- Cartas de baralho sortidas
1 Pote de Cafeína Pura 420mg
1 Relógio Gucci
1 Bolsinha Yazigi fluorescente
1 Rádio Relógio 3D funcionando
1 Óculos bafônico sem perna (a inveja fez quebrar)
4 Estojos de óculos
1 Mouse funcionando mais ou menos

No Embalo da Cocaína

(Imagem: Arquivo Pessoal)
Eu sempre gostei de acordar tarde, mas, infelizmente, eu quase sempre estudei de manhã. No primeiro ano do ensino médio, eu pude estudar à tarde. Era uma manhã comum, eu dormia na parte de cima de uma beliche. Acordei ouvindo uma discussão. Era minha mãe dando uma bronca no meu irmão, perguntando o porquê dele ter feito aquilo. Meu irmão dizia que estava trazendo droga pra cidade, daí ele viu a polícia e jogou tudo num rio.

Sobre os Dias de Luta

(Fotografia: Giulia Bersani)
Digo-vos, a luta é o que está faltando na vida da maioria dos jovens de hoje. Se eles acham que eu vou apoiá-los enquanto eles criam grandes obras de arte, então, eles perderam o ponto do meu trabalho, da minha vida!

O Verão Mais Frio de Minha Vida

(Imagem: Arquivo Pessoal)
Daqui a alguns dias, faz três anos que minha mãe morreu. De lá pra cá minha vida mudou bastante, eu mudei bastante. Numa terça-feira, mais um dia normal, cheguei da faculdade cansado e com dor de cabeça. Já passava das 23h. Minha mãe já dormia. Geralmente, ela acordava e perguntava se queria que esquentasse a janta. Eu geralmente respondia que não. Naquela noite, como de costume, ela deixou um potinho com biscoitos numa mesinha em frente ao meu quarto, não dei confiança. Naquela noite, fiquei com medo de passar mal, então deixei a porta do quarto semiaberta. Na manhã seguinte, percebi que o pote de biscoitos estava ao lado da minha cama.