Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2017

Aquela da Beesha Preta Terrorista

bixa estranha
louca, preta, da favela
quando ela tá passado
todos riem da cara dela, mas
se liga macho, presta muita atenção
SENTA E OBSERVA A TUA DESTRUIÇÃO!


Os versos são de Linn da Quebrada. Pra quem não a conhece, podem chamá-la de “bixa preta terrorista”. Quebrando tabus e utilizando seu corpo e a música como uma forma de contestação, desde 2016, ela faz um terrorismo com os versos. E é bom ver que temos pessoas na mídia que conseguem nos representar. Isto se chama visibilidade.

Queremos destruir o homem. Não é uma destruição no sentido de jogar uma bomba ou dar um tiro em alguém. Nem jogar praga ou destruir famílias. Queremos a destruição do homem que, de geração em geração, oprime, desemprega, exclui, agride, xinga, esfaqueia, rasga, queima e mata cada uma de nós. Todos os dias. O Brasil é o país que mais mata travesti no mundo. 
A bixa preta ainda tem o racismo para encarar. As manas têm o machismo. Não tá fácil. Mas calma. Errado é homem andar de mão dada com outro homem, ou mulh…

Aquela Sobre Aquela Do Verão

Todo ano, tenho que contar nos dedos quanto tempo faz que minha mãe morreu. Daqui há alguns dias já faz seis anos. Achei engraçado reler um texto em que relatava os acontecimentos do dia em que ela se foi. Não lembrava mais dos detalhes. Aos poucos, um borrão branco vai sendo criado no lugar das lembranças. Pensando bem, foi até uma boa ter escrito aquele texto.

De fato, muita coisa mudou. Não julgo ser ruim, é algo natural da vida. Tudo muda, as músicas, a política, a cultura, as tecnologias, e principalmente as pessoas mudam. O verão veio e foi diferente também. Comecei em uma nova casa, longe o suficiente para não pirar com as pessoas tentando me reconfortar, mas não tão longe a ponto de estar longe da família e amigos.
Acreditei que poderia passar o resto da vida comendo fast-food, mas logo percebi que não dava. Morando em uma espécie de república, aprendi a cozinhar com os outros moradores. Comecei com arroz, depois veio o feijão, que me dava um pouco de medo, por causa da panel…